sábado, 15 de novembro de 2008

Escrita Criativa

Actividade: Construir um texto a partir de uma imagem.





O Vendedor de Castanhas

Era uma vez um menino chamado Leonardo. A mãe dele pediu-lhe para ir buscar uma saca cheia de castanhas. Então ele disse à mãe assim:
- Ó mãe, eu vou ver se encontro um vendedor de castanhas.
Então lá foi ele pela rua fora até que encontrou um vendedor de castanhas. Foi ter com ele e perguntou-lhe:
- Ó senhor Diogo, você pode-me dar uma saca cheia de castanhas?
- Claro que sim, meu menino!
- Quanto custa?
- Custa 50 cêntimos.
O Leonardo foi para casa todo contente com a sua saca de castanhas.
Quando chegou a casa comeu as castanhas deliciosas.


Texto de Alfredo


O vendedor de castanhas

Era uma vez um menino chamado Eduardo que queria castanhas para comer, mas não tinha em casa. Então foi procurar o seu amigo Zé que era vendedor de castanhas. Ele procurou, procurou e não encontava. Então desistiu e foi para casa.
A caminho de casa ele encontrou-o e disse-lhe:
- Ó Zé, não tens castanhas para comer?
- Não. Desculpa amigo, mas ainda falta uma semana.
- Pronto. Obrigado Zé, eu espero mais uma semana.
Passado uma semana, o Eduardo foi à procura do Zé por toda a vila e encontrou-o à porta da casa dele. Foi logo a correr para lhe perguntar se as castanhas já tinham chegado, mas o Zé disse que não.
- Porquê? - perguntou o Eduardo.
- Porque há falta de castanhas, mas podes passar aqui amanhã que eu vou ver se as consigo arranjar.
No dia seguinte o Eduardo passou no Zé e, desta vez, ele já tinha dois cestos cheios de castanhas.
O Eduardo comprou cinco cartuchos que custaram dois euros e foi todo contente para casa com as suas deliciosas castanhas.


Texto de Bruno


O vendedor de castanhas

Num dia de sol um vendedor de castanhas, chamado Marco, assava castanhas no seu carrinho ambulante, que estava num esquina de uma rua, onde nunca passavam carros.
Numa casa ali perto, um menino queria castanhas, mas não tinha nenhuma. Por isso foi à procura de castanhas à feira, mas no caminho encontrou o vendedor de castanhas.
- Quanto custam as suas castanhas?
- As minhas castanhas custam um euro.
Mas o vendedor de castanhas perguntou-lhe:
- Como é que te chamas?
E o menino respondeu:
- Eu chamo-me António.
O vendedor de castanhas disse-lhe:
- Queres ser meu amigo para o resto da vida?
- Sim, quero muito ser teu amigo até ao fim dos meus dias.
O vendedor de castanhas disse-lhe que as suas castanhas eram de graça.
O menino foi muito contente para casa e contou à mãe que tinha feito um novo amigo.
No dia seguinte o vendedor de castanhas convidou o António e os seus pais, o Zé e a Sara, para irem à sua casa.


Texto de Francisco José
A turma do 3º ano

1 comentário:

maria disse...

Olá, parabéns pelos vossos trabalhos, são todos muito bons.
Beijinhos a todos e portem-se bem.